quinta-feira, 4 de agosto de 2016

POKÉMON GO: MAIS UMA CILADA PARA A HUMANIDADE!

O lado obscuro do Pokémon GO

Descubra por que o aplicativo é a materialização de um dos sonhos de hackers
Enquanto milhões estão coletando Pokémons em seus smartphones, uma empresa do Google está ocupada coletando dados sobre você. Levando o nome do cartoon japonês de enorme sucesso nos anos 90, o jogo para smartphone virou febre em poucos dias, batendo recordes globais de downloads e elevando as ações da Nintendo em 64%.
Pra começar a jogar o Pókemon GO você tem que abrir mão de boa parte da sua privacidade, e especialistas já alertam: é uma questão de tempo até que seus dados caiam nas mãos de hackers.


A startup Niantic comprou uma mina de ouro em informações pessoas por meio de seu aplicativo Pokémon GO, jogo de realidade aumentada que incentiva os participantes a visitar pontos de referência virtuais no espaço público, para coletar monstros do desenho animado.
De acordo com a Forbes, o jogo já está prestes a ultrapassar o Twitter em número de usuários ativos no Android — e o app foi lançado no último dia 6 de julho! Com aspirantes a treinador de Pokémon se inscrevendo em número recorde, segundo o The Daily Beast, um banco de dados da Niantic de dados pessoais se tornou um "alvo amadurecido" para hackers e criminosos praticamente do dia para noite.


ELE SABE QUEM VOCÊ É

O Pokémon GO coleta uma vasta quantidade de informação de seus usuários. Em dispositivos Android, por exemplo, a aplicação pede acesso à câmera, contatos, localização do GPS, e conteúdo de cartões SD. O processo de inscrição também pede a data de nascimento. Ok, outros apps de jogos populares também podem pedir informações similares, então não tem problema, certo? Bem, levando em conta que o GO exige WiFi ou GPS o tempo todo ligados pra jogar, talvez seja conveniente chegar a uma conclusão mais confortável, pois segundo o site The Daily Beast, isso já seria o suficiente pra "saber quem você é".

DADOS SÃO SUBMETIDOS A UMA LEGISLAÇÃO DESCONHECIDA

Além do mais, a Política de Privacidade da Niantic dá à companhia uma ampla gama de possibilidades para usar essas informações. Por exemplo, a Niantic pode enviar informações pessoalmente identificáveis (PII) para as autoridades, ou vendê-las, ou ainda compartilhar com outras indústrias e mercados, ou mesmo guardar em países estrangeiros com legislação de privacidade mais frouxa.
O que chama a atenção é que uma seção inteira da política de privacidade é dedicada ao uso de armazenamento de dados no exterior, algo que normalmente não vemos num aplicativo. Ainda não está claro onde a Niantic poderá enviar seus dados, e até agora a empresa forneceu poucos detalhes sobre o assunto.


No documento a empresa promete "tomar medidas administrativas, físicas e eletrônicas apropriadas e desenvolvidas para proteger a informação". O documento afirma que as PIIs "poderão se transferidas e mantidas em computadores fora do estado, província, país ou qualquer outra jurisdição governamental onde as leis de privacidade podem não ser tão protetoras quanto as da sua jurisdição".

VAZAMENTO DE IDENTIDADES E FRAUDE EM PAGAMENTOS

Há dúvidas quanto a criptografia dos dados coletados pelo Pokémon GO e quem atualmente tem acesso a eles. Especialistas já apontam para o risco de venda de dados vazados no mercado negro para governos estrangeiros, além do risco de fraude bancária e roubo de identidades, já que o aplicativo processa pagamentos.

3 comentários:

  1. Adoro essa matéria porque ela tá tão errada...
    http://www.boatos.org/tecnologia/pokemon-go-cia-espionar.html

    ResponderExcluir