sábado, 13 de agosto de 2016

A curiosa relação entre Pokémon Go, o Google e a CIA






FONTE: http://super.abril.com.br/blogs/rebit/a-curiosa-relacao-entre-pokemon-go-o-google-e-a-cia/

Pokémon Go já ultrapassou o Twitter e o Facebook: tem mais usuários que o primeiro, e mais engajamento (tempo de uso por pessoa, por dia) que o segundo. Um fenômeno sem precedentes na indústria de games, que fez as ações da Nintendo dispararem. Tudo graças à sua gameplay inovadora, que junta geolocalização com realidade aumentada.
Mas a Nintendo meio que só emprestou a marca e os personagens de Pokémon. O game foi desenvolvido por outra empresa: a Niantic. Ela existe desde 2010, e seu produto mais conhecido é o Ingress, um jogo baseado em geolocalização, muito parecido ao Pokémon Go, lançado em 2012. A Niantic nasceu como subsidiária do Google (desde 2015, é uma empresa independente, mas ainda tem o Google como grande acionista).
A Niantic é uma criação do americano John Hanke. Ele foi para o Google em 2004 – quando sua empresa, a então (e até hoje) quase desconhecida Keyhole, foi comprada pelo Google. Hanke havia inventado um software que juntava fotos de satélite – com a aquisição, esse programa foi transformado no Google Earth. E Hanke chegou a ser vice-presidente de mapas do Google.
A Keyhole, por sua vez, foi financiada pelo fundo In-Q-Tel – o braço de investimentos tecnológicos da CIA. A missão oficial do In-Q-Tel é “identificar, adaptar e implementar soluções tecnológicas para suportar as missões da CIA e da comunidade americana da inteligência”. Ele costuma investir em coisas que possam ser usadas para espionagem (como você pode ver na lista de 38 empresas que apoia atualmente). Não é difícil entender por que a Keyhole interessava à CIA: ela permitia olhar, como depois o Google Earth e o Maps passaram a permitir, qualquer ponto do globo.
E são justamente os mapas online que formam, hoje, o coração do Pokémon Go. Além da origem ligada à CIA, o game também tem levantado certa desconfiança (inclusive de um senador americano) porque pede acesso a todos os contatos do telefone, retira direitos legais dos usuários e supostamente exige o direito de ler todos os emails deles: coisa que os criadores do game negam (o jogo ganhou uma atualização para deixar a negativa mais clara).

Nenhum comentário:

Postar um comentário