segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

98- PESSOAS QUE ENTRARAM NA JUSTIÇA CONTRA A UNIVERSAL... E GANHARAM!




OPINIÃO ANDRÉ DE MORAES: 
Pra minha vergonha eu confesso que fui membro (prosélito) dessa maldita seita por 10 anos, estive como obreiro, líder de evangelização, de grupo de jovens e trabalhei fazendo faixas e grafitis pra ela, serviço o qual levei calotes se somados chegam à 10 mil reais!
E por isso posso falar com todo o direito e experiência, moral e comprovação.
Qualquer membro pode, e deve, entrar com uma ação contra a seita universal do reino do Macedo, alegando coação. Coação é:  
"s.f. Ação ou efeito de coagir (forçar): a coação fez com que o bandido confessasse seus crimes.
Jurídico. Causar constrangimento ou agir de modo violento (moral ou fisicamente) para que alguém faça ou deixe de fazer alguma coisa".
Quando um falso pastor da seita Universal ameaça seus prosélitos de que se eles não derem dízimo, ofertas ou não participarem de alguma campanha ou voto, o diabo vai destruir e amaldiçoar a vida deles comete coação contra o povo.
Quando o falso pastor faz uma campanha e dá uma camiseta vermelha só pra quem participa dela e diz que "os valentes vestem vermelho" e não dá para os demais, é coação!
 Existem várias formas de provar os crimes da seita Universal, basta ter coragem e um pouco de instrução para isso (pena que eu na época não tive, mesmo tendo motivos maiores do que estes).
Espero que esse pequeno artigo ajude as pessoas a exigirem seus direitos ante essa obra do diabo, se livrarem dessas mercenários e ter um encontro verdadeiro com Deus!
 
VEJAM PESSOAS QUE ENTRARAM NA JUSTIÇA CONTRA A SEITA... E VENCERAM!

IGREJA UNIVERSAL É CONDENADA  DEVOLVER R$ 74 MIL À FIEL ARREPENDIDA!

IGREJA UNIVERSAL DO REINO DE DEUS FOI CONDENADA A DEVOLVER R$ 74,3 MIL DOADOS POR UMA FIEL ENTRE 2003 E 2004, QUE SEIS ANOS DEPOIS SE ARREPENDEU E PEDIU A NULIDADE DA DOAÇÃO. SEGUNDO O TRIBUNAL D JUSTIÇA DO DISITRITO FEDERAL E DOS TERRITÓRIOS (TJ-DFT). A MULHER ALEGOU TER SIDO PRESSIONADA POR PASTOR A AUMENTAR SUAS CONTRIBUIÇÕES AO DÍZIMO, O QUE A LVOU A ENTRAR EM DEPRESSÃO, PERDER O EMPREGO E FICAR NA MISÉRIA!

A decisão da 5ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJ-DFT) confirma sentença proferida em primeira instância pela 9ª Vara Cível de Brasília. Segundo os autos do processo, a fiel frequentava a Igreja Universal do Reino de Deus, pagando seus dízimos em dia. Ao enfrentar um processo de separação judicial, a mulher alega ter sido induzida pelo pastor Jorge a aumentar suas contribuições. Ao receber uma alta quantia por um serviço realizado, a fiel teria sido pressionada pelo pastor para doar toda a quantia que havia recebido.
A fiel acabou cedendo às pressões e doou dois cheques em dezembro de 2003 e janeiro de 2004, totalizando o valor de R$ 74.341,40. Pouco tempo depois, ao perceber que o pastor havia sumido da igreja, a fiel entrou em depressão, perdendo o emprego e ficando impossibilitada de pagar suas contas. Por isso, segundo o TJ-DFT, a mulher pediu em 2010 a nulidade da doação e a restituição de todo o valor.
A igreja, por sua vez, afirma que a fiel sempre foi empresária, que não ficou sem rendimentos em razão da doação e que ela tinha capacidade de reflexão e discernimento para avaliar as vantagens de frequentar a igreja e de fazer doações. Afirmou, ainda, que "a liturgia da igreja baseia-se na tradição bíblica, ou seja, que é a Bíblia que prevê a oferenda a Deus em inúmeras passagens, destacando, na passagem da viúva pobre, que doar tirando do próprio sustento é um gesto de fé muito mais significativo".
Ao condenar a Igreja Universal do Reino de Deus a restituir os valores doados, a juíza de primeira instância considerou que a fiel teve o seu sustento comprometido em razão da doação realizada, citando no processo relatos de que houve carência de recursos até mesmo para alimentação. Segundo ela, a sobrevivência e a dignidade do doador é que são os bens jurídicos protegidos pelo artigo nº 548 do Código Civil, que determina ser "nula a doação de todos os bens sem reserva de parte, ou renda suficiente para a subsistência do doador".
A Igreja Universal recorreu, mas a sentença foi confirmada por unanimidade pela Segunda Instância, não cabendo mais recurso de mérito no TJ-DFT.
 FONTE: http://noticias.terra.com.br/brasil/igreja-universal-e-condenada-a-devolver-r-74-mil-a-fiel-arrependida,de717b930c6ac310VgnVCM5000009ccceb0aRCRD.html

Igreja Universal perde processo e terá que devolver carro doado por fiel


A 1ª Turma Recursal do TJ-DF (Tribunal de Justiça do Distrito Federal) condenou a Igreja Universal do Reino de Deus a devolver um automóvel doado por uma fiel em troca da promessa de “mudança de vida”. Não cabe mais recurso da decisão.
De acordo com os autos, a autora é mãe de uma criança portadora de necessidades especiais e tem recente histórico de grave violência doméstica. Além disso, ficou comprovado que a fiel tinha uma situação financeira precária e que não tinha outro bem além do carro doado. Ela pediu a nulidade da doação feita, pois a promessa de restabelecimento de sua saúde não teria sido cumprida.
Na primeira instância, o juiz concluiu que a autora é uma pessoa dotada de uma simplicidade e ingenuidade condizente com seu status econômico e educacional. O magistrado explicou que o ato de doação não apresentou vício de consentimento, mas ofendeu o artigo 1.175 do Código Civil. Segundo esse artigo, é “nula a doação de todos os bens, sem reserva de parte, ou renda suficiente para a subsistência do doador”. Por isso, determinou a imediata devolução do automóvel à autora.
A Igreja Universal entrou com recurso, alegando que a fiel possuía outro bem na época da doação. Na 1ª Turma Recursal, a relatora, em seu voto, explicou que cumpriria à ré demonstrar que a autora possuía tal bem, o que foi feito apenas por testemunho, prova legalmente inadequada. A relatora afirmou ainda que, de acordo com o artigo 549 do Código Civil, é igualmente nula a doação quanto à parte que exceder à de que o doador, no momento da liberalidade, poderia dispor em testamento.
 FONTE: http://noticias.gospelmais.com.br/igreja-universal-perde-processo-e-tera-que-devolver-carro-doado-por-fiel.html

Igreja Universal é condenada a pagar R$ 150 mil de indenização a Xuxa

 
A Justiça do Rio determinou, em primeira instância, que o jornal "Folha Universal", da Igreja Universal do Reino de Deus, indenize a apresentadora Xuxa em R$ 150 mil por danos morais.
A decisão foi proferida na última segunda-feira (15) pela juíza Flávia de Almeida Viveiros de Castro, da 6ª Vara Cível da Barra da Tijuca (zona oeste). Cabe recurso.
Segundo informações divulgadas nesta quarta (17) pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, o processo foi movido pela apresentadora em 2008 após o tabloide do bispo Edir Macedo afirmar que Xuxa tinha "pacto com o diabo".
Em sua sentença, a juíza determinou ainda que a Editora Gráfica Universal, que pertence à igreja e é responsável pela "Folha Universal", publique na primeira página da próxima edição o seguinte aviso: "em desmentido da publicação do exemplar 855 de 24/08/2008, Maria da Graça Xuxa Meneghel afirma que tem profunda fé em Deus e respeita todas as religiões".
Na prática, a decisão proferida nesta segunda é igual à tomada pela juíza em 2011 sobre o mesmo processo. O problema é que, naquela ocasião, ela decidiu apenas sobre o pedido de indenização por danos morais feito pela apresentadora, e ignorou o pedido relacionado a danos materiais.
"Foi um erro técnico. Mesmo que a juíza considere que não há procedência quanto ao pedido de indenização por danos materiais, ela precisa deixar isso registrado em sua sentença", explicou o advogado que representa Xuxa no caso, Mauricio Lopes de Oliveira.
 http://bockadefogo.blogspot.com.br/2012/10/xuxa-ganha-processo-contra-universal.html

Mulher entra na Justiça e Igreja Universal do Reino de Deus devolverá dízimo!

 

Uma mulher entrou na Justiça contra a Igreja Universal do Reino de Deus e conseguiu receber de volta seus dízimos. De acordo com uma publicação do jornal “Extra”, a mulher recebeu uma grande quantia de dinheiro após realizar um serviço e foi induzida pelo pastor a reverter o montante para a instituição religiosa. Pouco depois o homem fugiu da igreja, resultando em um processo de depressão na fiel, que ficou sem emprego e na miséria.

O processo, acompanhado pela 5ª Turma Cívil do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) confirmou a sentença, determinada pela 9ª Vara Cível de Brasília. Nela, a Igreja Universal do Reino de Deus deverá devolver os R$ 74.341,40 doados à antiga frequentadora, além de acrescer juros de mora de 1% ao mês.

A doação foi realizada a partir de dois cheques compensados em dezembro de 2003 e janeiro de 2004. Entretanto, a mulher decidiu acionar a Justiça somente em 2010, quando sua situação financeira já estava seriamente prejudicada.

Apesar de ter recorrido, a Igreja Universal do Reino de Deus não conseguiu cancelar a decisão. A igreja ainda chegou a afirmar que a mulher era uma empresária e que tinha rendimentos para poder se sustentar caso doasse o montante, na tentativa de se defender.



Igreja Universal é condenada por intolerância religiosa

Universal_macumbeiros
Jornal da igreja ilustrou
 texto com foto de Mãe Gilda
Por decisão unânime, a 4ª Turma do STJ (Superior Tribunal de Justiça) condenou a Iurd (Igreja Universal do Reino de Deus) a pagar por danos morais a indenização de R$ 145,25 mil aos filhos e marido da mãe-de-santo Gildásia dos Santos, a Mãe Gilda, do  terreiro Axé Abassá de Ogum, de Nova Brasília.

A Folha Universal, porta-voz da igreja, na edição de 26 de setembro a 2 de outubro de 1999, publicou a reportagem “Macumbeiros charlatões lesam o bolso e a vida dos clientes”, tendo como ilustração  foto da Mãe Gilda, com uma tarja preta sobre os olhos dela (reprodução ao lado).

O jornal usou uma foto que tinha sido publicada pela Veja, em uma notícia sobre a participação da mãe-de-santo em um manifestação a favor do impeachment do presidente Collor.

Abalada, a Gilda morreu de enfarto no ano seguinte, e seus familiares recorrem à Justiça contra a igreja do bispo Edir Macedo.

Antes, em 1992, o próprio bispo ficou preso 11 dias sob a acusação de charlatanismo, curandeirismo e estelionato. Naquela época, Edir já era tido como um espertalhão que explorava a ignorância dos pobres – a mesma acusação que depois a Folha Universal faria aos 'macumbeiros'.

Hoje, Edir Macedo é dono de um conglomerado de empresas de comunicação, é poderoso, tem influência na política, e os ‘macumbeiros charlatões’ continuam com sempre: pobres e na luta pela sobrevivência.
O site Última Instância informa que, quando a Universal foi condenada em primeira instância, pela Justiça baiana, o valor da indenização era de R$ 1,4 milhão.

mae_Gilda
Mãe Gilda
A igreja então recorreu da decisão com a alegação de que não há ligação jurídica entre a Igreja Universal e a Folha Universal, jornal impresso pela Editora Gráfica Universal.

Além disso, contestou o fato de os herdeiros da Gildásia terem ajuizado a ação de danos morais. No entendimento da Universal, só a mãe-de-santo poderia fazê-lo. Trata-se de uma esperteza dos advogados da igreja, porque a mãe-de-santo estava morta.

Para o juiz Carlos Fernando Mathias, do STJ e relator do caso, independente de estarem ou não registradas em nome da mesma pessoa jurídica, a Folha Universal e a gráfica pertencem ao mesmo grupo empresarial.

Mathias reconheceu que R$ 1,4 milhão era um valor alto e o reduziu para R$ 20,75 mil para cada herdeiro, o que dá o total de R$ 145,25 mil.

21 de janeiro comemora-se o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, data aprovada por um projeto de lei. Foi nesse dia em que morreu Mãe Gilda.

As condenações judiciais à Igreja Universal têm sido cada vez mais freqüentes. Em uma das mais recentes, a Justiça de Minas determinou que ela devolvesse a um fiel com déficit mental cerca de R$ 50 mil que foram entregues a pastores como pagamento de dízimo.

fonte:http://www.paulopes.com.br/2008/09/universal-condenada-por-chamar-me-de.html#ixzz3Mdxa4PKe

NEM DEFICIENTE MENTAL É PERDOADO POR SAFADOS BISPOS DA SEITA UNIVERSAL: PEDEM DÍZIMO ATÉ DE DEFICIENTE MENTAL!

Igreja Universal é condenada por explorar deficiente mental

edson_mae

Pastores da Igreja Universal em Minas Gerais se aproveitaram da deficiência mental do zelador Edson Luiz de Melo (na foto com a sua mãe, Dulce de Conceição) para explorá-lo com a exigência de dízimo e doações desde 1996. O caso foi parar na Justiça e o Tribunal daquele Estado condenou a igreja a devolver ao fiel o total da quantia que ele pagou desde aquele ano.

O advogado do zelador, Walter Soares Olivera, estima que a devolução deva superar os R$ 50 mil. Além disso, a igreja terá de pagar indenização de R$ 5 mil por danos morais.

A decisão do 13ª Câmara Cível do Tribunal de Minas Gerais foi unânime.

“A instituição religiosa que recebe como doação valor muito superior às posses do doador, sem a devida cautela, responde civilmente pela conduta desidiosa”, afirmou o desembargador Fernando Botelho, relator do processo.

Os pastores aproveitaram-se do zelador sem dó nem piedade. Mesmo após ter sido afastado do emprego por causa do agravamento de sua doença, ele foi induzido a continuar com as contribuições. Emitiu cheques pré-datados, pegou dinheiro emprestado em banco e vendeu um terreno bem abaixo do seu valor. Tudo para beneficiar a igreja do bispo Edir Macedo.

No processo, consta que os pastores prometiam milagres em troca de dinheiro.

Melo foi alertado por parentes e amigos da exploração da qual estava sendo vítima, mas a todos ele chamava de “demônio”, incluindo a sua mãe.

FONTEhttp://www.paulopes.com.br/2008/08/igreja-universal-condenada-por-explorar.html#ixzz3MdxswhKo .


3 comentários:

  1. Na matéria sobre a apresentadora Xuxa observei que no final tem um ponto de interrogação que dá ao leitor a livre interpretação e julgamento e não um ponto afirmativo . Essa sentença é passível de recurso . " PACTO COM O MAL ? " .? o ponto de interrogação leva o leitor a questionar e não representa a afirmação do jornal

    ResponderExcluir
  2. Essa sentença por mim não passaria e garanto que a maioria delas também não !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. COM RELAÇÃO AO FATO DE EX-MEMBROS PEDIREM DE VOLTA O QUE DOARAM, ACHO MAIS QUE CERTO. POIS SE NÃO TIVERAM RESPOSTAS DO QUE LHES FORAM PROMETIDO POR FALSOS PASTORES E FALSOS BISPOS, ELE TEM MAIS É QUE EXIGIR NA JUSTIÇA QUE DEVOLVAM TUDO O QUE FOI ROUBADO ATRAVÉS DE COAÇÃO E ESTELIONATO!

      Excluir