quinta-feira, 9 de outubro de 2014

68- Médico que pesquisa a cura da Aids anuncia resultado do teste in vitro



 http://www.portalgildabonfim.com.br/site/medico-que-pesquisa-a-cura-da-aids-anuncia-resultado-do-teste-in-vitro/

O médico e pesquisador Dr. Paulo Gouveia vem dando há pelo menos dez anos, continuidade aos estudos que apontam a provável cura da Aids através de uma planta típica da região norte do Brasil, a mutamba, planta cientificamente conhecida como Guazuma Ulmifolia.
Em recente entrevista concedida ao Portal O Norte, o médico anunciou que esteve reunido em março no Rio de Janeiro em audiência com a diretoria de um dos mais importantes centros de pesquisa do país, a Fundação FIOCRUZ, para apresentar o seu projeto de pesquisa sobre a cura da Aids bem como os casos clínicos onde exames diagnosticaram a possível cura através do processo estudado pelo médico.
Segundo o médico, sua explanação ao presidente da entidade, Paulo Ernani Gadelha Vieira, resultou na aprovação da continuidade da pesquisa que de acordo com ele, deverá ser realizada em três etapas: A primeira fase será a pesquisa in vitro, a segunda fase que consiste na experiência de testes com ratos de laboratório e a terceira e última fase que será feita em humanos.
Dr. Gouveia explica que inicialmente o custo para a primeira fase processo de pesquisa é baixo e será em torno de R$ 20 mil reais, já as duas últimas fases custarão aproximadamente R$ 1 milhão cada.
Nesta semana, Dr. Paulo conversou mais uma vez com nossa reportagem e anunciou a efetivação da primeira fase da pesquisa. No entanto, explicou que por questões burocráticas, pelo fato da FioCruz se tratar de uma autarquia federal, a demora para o início do teste o mobilizou a realizar a primeira fase da pesquisa por conta própria no Laboratório Kyolab em Campinas – SP.
De acordo com o pesquisador, o resultado dessa primeira experiência foi bastante positivo. “Os frascos de amostra do extrato da mutamba foram encaminhados ao laboratório onde dois testes foram efetuados apontando uma proteção parcial das células atingidas”, disse Gouveia esclarecendo que “a amostra não protegeu a totalidade das células porque ainda há muitos compostos tóxicos na mesma. Há necessidade de purificação a partir da planta in natura para realização e repetição dos testes”.
Ainda em entrevista ao site, Paulo Gouveia informou que está agendada uma nova reunião com Dr. Claude, Vice-Presidente de Pesquisa e Laboratório de Referência da Fiocruz, para o próximo dia 18 deste mês, onde o pesquisador apresentará os resultados do teste in vitro, realizado no laboratório Kyolab. De acordo com ele, a partir dessa reunião podem ser definidos os próximos passos a serem dados pela FioCruz na continuidade da pesquisa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário